Joaquim Prado, negro e aristocrata

 
De Joaquim Prado, os vestígios são escassos. Sua existência, aliás, poderia até ser contestada, afinal, a única citação mais esclarecida sobre o jogador aparece no livro “O negro no futebol brasileiro”, do jornalista Mario Filho, que dá nome ao Maracanã. Na publicação, lançada em 1947, Mário Filho afirma que Joaquim Prado era o extrema-esquerdo do Paulistano, tradicional clube da cidade de São Paulo. “Joaquim Prado era preto, mas era de família ilustre, rico, vivia nas melhores rodas”
No livro “Do fundo do baú”, de Laércio Becker, Joaquim aparece na ficha técnica do jogo Paulistano 1×1 São Paulo Athletic Club, de 19 de junho de 1904. No ano seguinte, o Paulistano foi campeão paulista, e Joaquim atuou pelo menos em uma partida, na vitória do Paulistano por 3 a 0 sobre o Mackenzie, no dia 13 de maio. Ou seja, é provável que Joaquim Prado tenha sido o primeiro negro campeão estadual.
http://www.escrevendofutebol.com.br/2015/09/migue-carregal-e-joaquim-prado-os.html
Anúncios