Com pesar, e atraso, registramos aqui o falecimento do grande intelectual e jurista afro-brasileiro Evaristo de Moraes Filho, ocupante da cadeira 40 da Academia Brasileira de Letras, que ocorreu em 22 de julho de 2016, em sua cidade natal, o Rio de Janeiro. Evaristo tinha 102 anos.

Nascido no Rio de Janeiro, em 5 de julho de 1914, foi bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1937) — à época Universidade do Rio de Janeiro —, também estudou Sociologia, Psicologia e Filosofia.

Doutor em Direito (1953) e em Ciências Sociais (1955). Foi professor de Direito do Trabalho, Industrial e de Administração Pública. 

Seus dois últimos livros sobre Direito do Trabalho foram A Justa Causa na Rescisão do Contrato de Trabalho (São Paulo, LTr, 1996) e Evaristo de Moraes Filho, Construtor de Direito de Trabalho (São Paulo, LTr, 2006). Na Filosofia, suas últimas obras foram Goethe e a Filosofia – 250 anos de Goethe (Rio, ABL, 1999) e Quinze Ensaios (São Paulo: LTr, 2004).

Artigo de Evaristo de Moraes Filho publicado em  Revista Acadêmica. Rio de Janeiro, novembro de 1940. Extraído de http://www.bvemf.ifcs.ufrj.br/producao_intelectual.htm#artigos

Evaristo Filho também produziu trabalhos sobre a história das ideias. Seus últimos livros nesse campo foram Liberalismo e Federalismo: Tavares Bastos e Rui Barbosa (Rio, 1991) e Temas de Liberalismo e Federalismo no Brasil(Coleção Afrânio Peixoto, vol. 16 — ABL, 1991. 2ª ed., 1995).

“Registramos a profunda tristeza e o vazio que deixará no mundo jurídico. Muitas gerações receberam seus ensinamentos na Faculdade Nacional de Direito, onde dedicou todo o seu talento ao ensino do Direito do Trabalho”, declarou, em nota, o presidente nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Técio Lins e Silva, que definiu Moraes Filho como “jurista inigualável e orgulho de nosso quadro de associados”.

A partir de notícia publicada em:

http://www.conjur.com.br/2016-jul-22/morre-aos-102-anos-advogado-trabalhista-evaristo-moraes-filho

 

Anúncios